Rendas, transparências e metalizados são destaques na abertura da Fevest

Evento foi lançado em Nova Friburgo no início da tarde desta quarta-feira (5), no Country Clube.

A Feira de Moda Íntima, Praia, Fitness e Matéria-prima (Fevest), uma das maiores do setor no país, foi lançada nesta quarta-feira (5) no Country Clube de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, com o tradicional desfile das confecções. A expectativa é que o evento movimente R$ 54 milhões em negócios.

As empresas apresentaram o que será tendência na coleção primavera-verão e trouxeram a cor preta como o grande destaque da estação. Rendas, tecidos que imitam couro, metalizados e transparências prometem ser as grandes apostas do setor. Além disso, pedrarias, bordados, e peças com gargantilhas também estão entre tendências.

O evento também teve uma surpresa para o público. Três modelos abriram o desfile com peças de jornal, feitas pelos alunos do Senai Espaço da Moda. Por baixo, peças prateadas metálicas, remetendo ao tema do evento: "O futuro é agora". Outra novidade foi a apresentação de uma peça criada em parceria com o Associação dos Joalheiros e Relojoeiros do Estado do Rio de Janeiro (Ajorio). A lingerie foi confeccionada com pedrarias e correntes em prata.

Segundo Carla Pinheiro, presidente da Ajorio, a visita à feira tem como objetivo capacitar 26 empresas para a produção de peças de alto valor agregado.

Marcelo Porto, presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo e Região (Sindvest), afirmou eu Nova Friburgo está na contramão da crise. "Temos sim dificuldades, principalmente, por causa da Lei da Moda. É um ano difícil, mas outras feiras estão vazias e a nossa está cheia", afirmou.

A Firjan, uma das apoiadoras e incentivadoras do evento, também marcou presença na abertura. "Sou um entusiasta da moda. O setor da moda respira uma modificação constante. O estado do Rio gera 1.470 milhão de empregos diretos e 7 milhões de empregos indiretos", disse Antônio Berenguer, diretor do Centro Industrial do Rio da Janeiro, ressaltando que depois de queda nas contratações, Nova Friburgo foi um dos municípios que conseguiram voltar a admitir funcionários do setor.

Renato Bravo, prefeito de Nova Friburgo, anunciou a possibilidade de iniciar a realização de duas edições da Fevest ao longo do ano. "Estamos fazendo um governo de parceria com o empresariado e nós estrutura, produto e mercado para realizar o evento mais de uma vez por ano. A proposta já foi feita ao Sindvest", explicou.


Sobre o setor

Segundo informações do Sindvest, o polo de moda íntima de Nova Friburgo produz 114 milhões de peças por ano, representando 25% da produção nacional. O município tem 1.400 confecções e gera cerca de 30 mil empregos. De acordo com a Associação Brasileira de Indústria Têxtil (Abit), Nova Friburgo é o maior produtor de moda íntima do país.

Outras notícias